Falar de crise na gestão pode ser apenas falácia e balela. O gestor deve usar a criatividade e dedicação. Leia opinião do prof. Josa – Portal O Farol

Falar de crise na gestão pode ser apenas falácia e balela. O gestor deve usar a criatividade e dedicação. Leia opinião do prof. Josa

Todo início de gestão os novos gestores costumam reclamar das dificuldades encontradas de uma gestão para a outra, principalmente quando o ex-prefeito foi seu adversário. Costumo dizer que isso é balela, falácia de quem quer impressionar o povo para que tenha pena de sua gestão que está iniciando. Sei que dificuldades todos os prefeitos enfrentarão sempre, mas todos sabiam que estavam assumindo uma missão renhida, cheia de dificuldades. A grandiosidade de um gestor está na capacidade de criar meios para sair da crise. Ao invés de olhar pelo retrovisor, deve-se buscar soluções, pois o povo precisa de uma cidade melhor.

Sabemos que vários ex-prefeitos deixaram uma herança maldita para o seu sucessor, mas faz parte do ônus, dos ossos do ofício que o novo gestor vai enfrentar em sua gestão. Aconselhamos que os novos gestores iniciem sua gestões com calma, cuidado, discernimento e zelo pela coisa pública que as dificuldades passarão. Nada é para sempre, tudo passa, até nossa vida e nada é igual ao que vimos antes, tudo muda. Se o novo gestor se ver em dificuldades grandiosas, sem meios para sair dê-las, aconselho que busque soluções ou renuncie o mandato. Jamais o prefeito que lamenta a situação de sofrimento de seu município renunciará ao cargo. Lembro de prefeitos que choravam e choravam, mas nunca entregaram seus cargos aos vice-prefeitos e tempos depois derramaram recursos e obras nas cidades para tentar a reeleição. Por isso que digo, essa história de crise administrativa deixada pelo gestor antecessor é balela, conversa para elefante dormir.

Que os novos prefeitos trabalhem e façam pelo povo. As dificuldades, cabe a cada um ultrapassá-las com criatividade e de dicação.

Categorias: Cidades,Colunistas,Destaque,Professor Josa