“As pessoas não morrem, se encantam”. Minha mãe Leozita não morreu, se encantou e está junto de Deus; Leia opinião do professor Josa – Portal O Farol

“As pessoas não morrem, se encantam”. Minha mãe Leozita não morreu, se encantou e está junto de Deus; Leia opinião do professor Josa

leo1
Leozita

Não deveria ter ido embora me deixando só aqui, mas ela se foi para a eternidade, para o oriente eterno, um lugar agradável e lá está junto do Grande Arquiteto do Universo. Falo de minha eterna e amada mãe Leozita, que faleceu no último dia 23 de novembro de 2016, uma quarta-feira sombria que marcará minha vida toda. Perder uma mãe é perder o maior tesouro da vida. Perdi dona Leozita, uma mulher simples, guerreira, trabalhadora, honesta, meiga, exigente, cuidadosa, brava nas horas certas e, sobretudo uma mãe sem precedentes. Leozita cuidou muito bem de seus filhos, sofrendo como todas as mães, mas deu a todos nós o que pôde dar. Lembro quando era pequeno que ela me levava para viajar. Minha mãe era comerciante e tinha que fazer compras para seu banco de feira e me levava debaixo de sua saia, mesmo sabendo da bagunça que faria nas lojas e do aperreio que iria causar a ela. Mãe Leozita sempre esteve do nosso lado, nuca nos abandonou, mesmo depois de casados e da morte de meu eterno pai Joaquim. “Os meus filhos jamais abandonarei por nada, eles serão sempre tudo de bom que Deus me deu, por eles zelo sempre”, dizia minha mãe Leozita do fundo do coração e de sua sabedoria. Agora sinto a dor imensurável de não ter aquela que me deu a vida, que me carregou em seu ventre por nove meses, nos seus braços, que cuidou de mim nas horas que mais precisei, que me mandou estudar para ser alguém na vida e que sempre esteve nos carregando em seus braços. “A nossa dor pela partida de um ente querido, é a alegria de Deus pelo retorno do filho a casa após a missão cumprida”, disse Jade Amadi. Assim pensamos. Tenho certeza que Leozita está junto de Deus, ele a quis lá. “Quando aceitamos à partida de alguém querido, demonstramos um grande amor, pois nem sempre a nossa felicidade é a do próximo” (Marcelo Wolinger). Mas como dizemos, precisamos aceitar a dor da partida, pois o que vale é o nosso amor por ela, que ficará guardado no coração para o resto da vida. Meu corpo pouco chora a partida de mamãe, mas minha alma transborda diariamente de dor e lágrimas. Não é fácil aceitar a morte de quem amamos, pois nos convencemos de que jamais essa pessoa iria morrer e nos deixar. Mas nem a morte nos separará, pois o amor de Deus é maior. A palavra de Deus, escrita na bíblia, o livro da lei, trata a morte com positividade, pois Jesus morreu e ressuscitou que é nossa crença. Ela se foi, Leozita se foi, mas ficamos para representá-la na terra, seguindo seus ensinamentos e passos. Ela foi com Deus e lá está. “As pessoa não morrem, mas se encantam. Leozita não morreu, se encantou e está junto do pai celestial. Assim seja!

Josa, professor e jornalista

Categorias: Cidades,Colunistas,Destaque,Professor Josa