Após ser destituído da presidência do PTB, Wilson Santiago deve definir destino partidário esta semana – Portal O Farol

Após ser destituído da presidência do PTB, Wilson Santiago deve definir destino partidário esta semana

Wilson Santiago foi destituído da presidência do PTB na Paraíba e se desentendeu com o presidente nacional do partido, Roberto Jefferson.

                       Wilson Santiago ainda não definiu destino partidário (Foto: Sérgio Lima/Folhapress)

Após desentendimento com o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), o deputado federal Wilson Santiago deve definir ainda nesta semana se permanece ou não nos quadros do partido. Ele, que vem recebendo propostas de outros partidos, tem conversado com lideranças de diversas legendas, mas ainda não decidiu o que fazer.

Wilson Santiago era o presidente do PTB na Paraíba, mas foi pego de surpresa pela destituição do cargo após ter se recusado a seguir a orientação do presidente nacional do partido, Roberto Jefferson, na votação do Projeto de Lei 4754, que criminaliza o ativismo judiciário no país e prevê a possibilidade de impeachment de membros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Sem a participação do PTB na votação, o projeto acabou sendo rejeitado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados em uma votação apertada de 33 votos contra e 32 a favor.

Em nota, o PTB anunciou que estava destituindo Wilson Santiago do comando do partido na Paraíba. Já o presidente do PTB de Pernambuco, coronel Meira, pediu à Executiva Nacional da legenda a abertura de um processo disciplinar contra Santiago e também contra o deputado Maurício Dziedricki, do Rio Grande do Sul, que faltou à votação.

Também em nota, Wilson Santiago defendeu que o Projeto de Lei em questão é inconstitucional. ”Não imagino que o presidente nacional de um partido compactue com decisões de flagrante inconstitucionalidade”, escreveu.

Ele também afirmou que Roberto Jefferson ”tenta impor posições que desrespeitam os poderes e a política como instrumento de construção social”.

”Seu alinhamento político ao Presidente Bolsonaro não pode transformar o PTB em filial de grupos extremistas e antidemocráticos”, finalizou.

Por Bárbara Wanderley/ClickPB

Categorias: Destaque,Política