Ana Sátila fica sem medalha, mas faz história como primeira mulher finalista na canoagem slalom – Portal O Farol

Ana Sátila fica sem medalha, mas faz história como primeira mulher finalista na canoagem slalom

Na disputa pelas medalhas da categoria onde tem apenas uma atleta na canoa, a brasileira de 25 anos ficou na décima e última posição, depois de ficar com a marca de 164s71 na sua descida.

A medalha não veio, mas Ana Sátila já fez história ao ir à final feminina do C1 na canoagem slalom (Foto: Reprodução/ Globo esporte)

A medalha não veio, mas Ana Sátila já fez história ao ir à final feminina do C1 na canoagem slalom, sendo a primeira mulher do país a ir a uma decisão na canoagem slalom. Na disputa pelas medalhas da categoria onde tem apenas uma atleta na canoa, a brasileira de 25 anos ficou na décima e última posição, depois de ficar com a marca de 164s71 na sua descida. A prova aconteceu na madrugada desta quinta-feira no Centro de Canoagem Slalom Kasai.

Número 3 do ranking mundial, Ana Sátila perdeu 2s numa primeira penalidade na porta 7, e depois perdeu a porta 22, o que aumentou em mais 50s o seu tempo final, que ficou em 164s71. Se não tivesse o desconto da porta que não passou, Ana Sátila seria a quarta colocada na final.

A medalha de ouro ficou com australiana Jessica Fox (105s04), que se tornou a primeira atleta, seja homem ou mulher, a ganhar medalha na canoa e no caiaque. Isso nunca tinha acontecido nem mesmo levando em conta diferentes edições. A britânica Mallory Franklin (108s68) ficou com a prata, e o bronze foi da alemã Andrea Herzog (109s13).

A expectativa por medalhas não era à toa. Na semifinal, entre 18 atletas que disputavam uma das dez vagas na decisão, Ana Sátila teve o terceiro melhor tempo ao marcar 114s27 na sua descida, que aconteceu sem penalidades. As Olimpíadas de Tóquio marcaram a terceira participação da mineira na competição.

A prova disputada na canoa para uma pessoa consiste em descer um percurso com corredeiras, passando por 25 portas. Caso o atleta perca uma das portas, uma punição de 50s é acrescentada ao tempo final. Já se houver apenas um toque nos postes o acréscimo é de 2s. O atleta fica ajoelhado dentro da canoa, e tem um remo de uma pá apenas.

Por Globo esporte

Categorias: Esportes