MUNDO, O CALDEIRÃO DO ÓDIO! Leia opinião do contabilista José Ricardo – Portal O Farol

MUNDO, O CALDEIRÃO DO ÓDIO! Leia opinião do contabilista José Ricardo

O tempo, inteligentemente dividido em anos, possibilita-nos vivenciarmos momentos esplêndidos de Graças, e paradoxalmente, amargurarmos tristezas da escuridão que bane a racionalidade, própria da raça humana. Tudo acontece ao bel prazer dos nossos destinos. Tem gente que acha isso bobagem. Eu não! Acredito nos propósitos da vida. Não faria sentido vivermos ao leu, sem forma, sem sentido. Bom, mas não quero fincar pé nas minhas convicções arraigadas no íntimo. Sou um bom negociador da sensatez.

Vivemos um momento de turbulência, marcado pela intransigência instalada de maneira matizada no seio de cada ser humano. A razão não tem mais vencedor. Todos lutam puxando o cabo de força da razão, não cedendo um palmo em favor do entendimento do outro. O fenômeno é mundial. No nosso País, ele se apresenta causando ebulição que ajuda a nos afastarmos, às vezes, da coerência relacional que deveria sempre existir. Que nada! Hoje vendemos caro a nossa razão.

Destacamos que na nossa sociedade experimentamos um momento de insegurança emocional que faz tremer. Hoje, qualquer detalhe se sobrepõe à generalidade, causando acirramentos desnecessários, com consequências danosas para todos. Briga no trânsito, morte! Opinião sobre política. Abre-se a metralhadora da defecação verbal, passando-se por cima do bom senso que deveria prevalecer nas relações interpessoais.

Trazendo esse cenário para o momento político em que vivemos, ai a coisa fede! Mas não é esse o propósito desses escritos. Política já encheu a medida, não obstante a necessidade de permanecermos em sintonia com os acontecimentos e tendências. Isso porque as transformações são sutis e tênues, merecendo que não nos afastemos muito do tema. Vivemos um momento de mudanças, acompanhando a tendência mundial da extrema direita, que amparada pelo ideal do capitalismo financeiro rentista, ensaia uma predominância escravista, marcante na década de 30, quando levaram o mundo às turbulências conhecidas para quem lê a história.

Defesa do Socialismo ou Comunismo? Perseguição ao Capitalismo? Também não é por aí. É o melhor entre os piores sistemas político-econômicos vigentes, mesmo com suas mazelas incuráveis. Nada disso! É possível se ter uma visão não encaixada no meio da dicotomia esquerda x direita.

O ódio aflorou nesta década. Não quero ouvir a tua voz! Não suporto tua fala comunista! Essa caricatura de extremista da direita é a pior coisa que está acontecendo!

Vivemos a intolerância sistêmica. Perdemos alguns valores do tipo respeito, apreço, carinho, consideração, hierarquia. É evidente que tudo isso traz, no bojo das responsabilidades, figuras da administração pública que tripudiam da dor e da fraqueza de uma população medrosa com a violência que impera, vendendo um pacote de medidas truculentas, despreocupadas e desprovidas de cuidados com a integridade física das pessoas. Hoje, a sociedade faz uma separação muito louca, onde adeptos de tal ideologia tratam outros de outras correntes de pensamentos como elementos a serem combatidos. A ordem do dia é exterminar os pensantes antagônicos. É sempre um perigo iminente, e nesse movimento, as regras da boa convivência são relegadas a segundo plano. O que interessa é a manutenção de convicções tresloucadas.
Sou otimista! Ainda espero uma reversão de valores.

Categorias: Cidades,Colunistas,José Ricardo