Estudo da PRF revela principais causas de acidentes nas regiões metropolitanas da Paraíba – Portal O Farol

Estudo da PRF revela principais causas de acidentes nas regiões metropolitanas da Paraíba

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) alerta aos motoristas que desrespeitar regras de distanciamento de segurança, desatenção ao volante e realizar mudanças de faixa sem acionar a sinalização do veículo são as causas mais frequentes de acidentes nas regiões metropolitanas da Paraíba.

Em setembro deste ano, a PRF registrou 111 acidentes, dos quais 34 foram considerados graves. O principal tipo de acidente registrado foi a colisão traseira, totalizando 28 acidentes. Por sua vez, as principais causas desses acidentes estão relacionadas à ausência de reação ou reação tardia do condutor (46%) e à ausência de distância mínima dos veículos (17%). Outra causa de acidente comum é a colisão com motocicletas que transitam entre faixas e a consequente não utilização de seta dos veículos para mudar de faixa (14%).

O estudo da PRF na Paraíba, através do Núcleo de Segurança Viária (NSV-PB), demonstra que as regiões metropolitanas de João Pessoa, Campina Grande, Patos e Sousa, possuem o maior fluxo de trânsito quando se trata de rodovias federais. As análises mostram que as principais causas de acidentes nesses locais ao longo do ano refletem os mesmos índices do último mês de setembro.

A PRF reforça as fiscalizações nos trechos de maior incidência de acidentes, contudo, é necessário que os condutores também contribuam para a melhoria da segurança viária. O papel do motorista é fundamental para diminuição da violência no trânsito.

SAIBA COMO IDENTIFICAR SE VOCÊ ESTÁ MANTENDO A DISTÂNCIA SEGURANÇA

Já ouviu falar da regra dos dois segundos? Essa técnica é utilizada para saber se você está mantendo uma distância segura do veículo que vem a sua frente. Consiste em observar um ponto fixo na rodovia, seja ele uma placa de trânsito, poste ou qualquer outro objeto, e contar pausadamente dois segundos. Se o veículo que vem a sua frente passar pelo objeto e o seu veículo chegar naquele mesmo ponto de referência antes de você finalizar a contagem dos dois segundos, significa que você está muito próximo daquele veículo.

Independente da velocidade em que estejam, caso a contagem de distância for menor que dois segundos, você está conduzindo o veículo muito próximo. Caso a distância seja igual ou superior a dois segundos, você estará com uma distância segura do veículo que vem a sua frente.

A manutenção da distância segura é importante para que o condutor tenha tempo para reagir e possa realizar a frenagem quando necessário, sem que haja a possibilidade de ocorrer uma colisão traseira. A Legislação Brasileira considera infração grave dirigir sem manter distância segura do veículo da frente. A multa prevista é de R$ 195,23 e a penalidade de cinco pontos na carteira de habilitação.

DEIXAR DE DAR A SETA É UMA INFRAÇÃO GRAVE

Acionar a sinalização visual do veículo, ou seja, dar a seta, é um ato de responsabilidade que proporciona segurança no trânsito. Quando um motorista deixa de dar a seta para mudar de faixa, os demais condutores podem não conseguir se programar para reduzir a velocidade ou frear a tempo, ocasionando um acidente que pode gerar para além das consequências materiais, acidentes com feridos e até óbitos.

Deixar de dar a seta para sinalizar a mudança de faixa é uma infração grave de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro. Quando flagrada por Agentes e Autoridades de trânsito, podem realizar a autuação da infração com multa no valor de R$ 195,23, além do condutor receber cinco pontos na carteira de habilitação.

Por Parlamentopb

Categorias: Policial